Estratégia de redução de custos logísticos: conheça as 6 principais

abril 25 2018

Manter a saúde financeira de uma empresa que atua com a prestação de serviços de logística requer constante cuidado com os dispêndios referentes à operação e manutenção da frota. Por esse motivo, deve-se determinar qual é a melhor estratégia de redução de custos logísticos e minimizar o impacto nas finanças.

Para isso, é preciso que o gestor tenha em mãos ferramentas capazes de fornecer uma visão ampla de todo o processo, desde o planejamento da rota até a chegada dos produtos no cliente final.

O principal motivo para instituir maior cuidado na apuração dos custos é sua relação com a formação de preços praticados. Com os gastos sob controle, é possível garantir que as tarifas de frete sejam mais compatíveis com o mercado e ajudem a conquistar novos clientes.

Este artigo foi desenvolvido com o intuito de relatar quais são as formas mais eficientes de reduzir os custos operacionais. Continue lendo e saiba mais.

1. Reduza o consumo de combustível

Esse é o principal custo envolvido na operação de transportes e deve ser controlado com atenção. Uma das principais alternativas é renovar a frota, pois veículos novos são mais econômicos quanto ao consumo de combustível e oferecem melhor relação custo-benefício.

A otimização do processo de roteirização para entrega de mercadorias também exerce um papel importante para a economia de combustível. Com a utilização de sistemas capazes de identificar qual é a rota mais curta e com melhores condições de circulação, é possível minimizar os gastos.

2. Programe a manutenção dos veículos

Uma frota de uso constante requer maior precaução no que se refere à sua manutenção, reparos e substituição de peças. Portanto, para prevenir a incidência de custos de frota relacionados à necessidade de consertar os danos sofridos, o gestor deve estar preparado para realizar manutenções frequentes nos caminhões.

A prevenção é a melhor política para evitar que os veículos fiquem impossibilitados de circular, devido às avarias. Os problemas decorrentes da indisponibilidade de carros para realizar entregas incluem:

  • insatisfação dos clientes;
  • atrasos na programação de entrega;
  • excesso de trabalho e possibilidade horas-extras;
  • sobrecarga da equipe para lidar com as remessas.

As manutenções preventivas podem ser realizadas de maneira rápida e devem considerar itens como o sistema de frenagem, o sistema elétrico e de suspensão.

3. Estude a depreciação da frota

Um gestor de logística deve compreender que o seu patrimônio, no caso da frota, pode perder valor no decorrer do tempo, devido à sua utilização. Esse fenômeno é chamado de depreciação e consiste no desgaste dos veículos. Ao final de um ano, o ativo já não tem o mesmo valor que tinha quando deixou a fábrica.

Seu reflexo no gerenciamento de frota é a possibilidade de avaliar a viabilidade de manter o caminhão antigo. Essa informação propicia maior embasamento para optar entre realizar reparos para aumentar sua vida útil ou realizar a substituição do bem para aumentar a produtividade.

4. Adquira apólices de seguros

Evitar prejuízos faz parte da operação de transportes que está sujeita aos acidentes nas estradas, atuação de quadrilhas de roubo de cargas, avarias de mercadorias no armazém e durante a movimentação. Por essa razão, a aquisição de seguros deve ser levada em consideração. Existem duas opções de coberturas disponíveis:

  • seguro de carga: esse tipo de apólice cobre a carga do momento em que o caminhão deixa o fornecedor até o destino final. Sua cobertura deve incluir ressarcimento do valor da mercadoria em caso de avaria, perda ou roubo de carga;
  • seguro do veículo: além do seguro obrigatório para veículos automotores, convém que a empresa transportadora adquira cobertura extra para o caminhão em conjunto com seguro de vida para o motorista.

Essa proteção pode ser acionada para reembolso do valor ou substituição do bem em caso de sinistro. A empresa também pode ser indenizada em caso de acidentes para cobrir os valores referentes aos reparos necessários.

5. Apure a previsão da demanda

Esse aspecto tem profunda relação tanto com os níveis de estoque mantidos como com a lucratividade da empresa. Prever a demanda é uma atividade que envolve o esforço de comerciantes, distribuidores e fabricantes para estimar qual será o comportamento do consumidor e qual será a expectativa de consumo para o futuro.

Com isso, é possível planejar o volume da produção, a quantidade de insumos a ser adquirida para abastecer a linha de produção e quais serviços serão necessários para realizar as remessas.

O seu principal impacto está em manter os estoques baixos, com o intuito de suprir a demanda. Quando ocorrem inconsistências na previsão, pode ocorrer falta de produtos nas prateleiras, o que causa insatisfação nos clientes e a elevação dos preços.

Já a situação contrária, faz com que a produção excedente fique estagnada nas prateleiras e cause perdas ao fabricante. Corrigir esses problemas após a sua concretização representa um grande desafio, pois não há como garantir que as soluções implementadas serão efetivas.

Por esse motivo, a alternativa é realizar estudos de mercado profundos e utilizar o histórico de consumo como base para estimar a demanda com maior grau de certeza.

6. Terceirize atividades secundárias

Uma das tendências mais relevantes na gestão de empresas é a terceirização de atividades que não são consideradas essenciais para a continuidade do negócio. Os serviços de transportes constituem uma das funções que podem ser transferidas para outras empresas especializadas, com o intuito de reduzir os custos.

Além dos preços reduzidos, uma empresa terceirizada conta com uma infraestrutura, equipe qualificada e os recursos disponíveis para lidar com a operação de transportes de forma bem-sucedida.

Qual é a importância da estratégia de redução de custos logísticos?

A atividade logística é constituída por diversos gastos que influenciam seu processo e podem aumentar os preços de frete praticados. Essas informações são fundamentais para avaliar oportunidades de investimento, desenvolvimento de projetos e a possibilidade de expansão da empresa.

Essa análise motiva a criação de formas de tornar a operação mais enxuta, livre de desperdício e com processos mais eficientes para atender aos clientes. Por essa razão, a estratégia de redução de custos logísticos deve focar no constante acompanhamento dos resultados e na adoção de medidas para minimizar as despesas de frota.

Quer saber como tornar a empresa de transportes mais competitiva? A Itatibense Transportes desenvolve conteúdos exclusivos sobre logística, e para ter acesso, basta assinar a nossa newsletter!

Write a Reply or Comment