5 informações importantes sobre o transporte de alimentos não perecíveis - Itatibense Transportes e Logística

5 informações importantes sobre o transporte de alimentos não perecíveis

julho 30 2018

O transporte de alimentos não perecíveis é uma das tarefas críticas da logística. O manuseio desse tipo de mercadoria é sensível e, se não for feito de forma adequada, pode trazer impactos e prejuízos significativos à organização.

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) tem diretrizes de segurança alimentar que devem ser seguidas para manter a qualidade desses produtos — para isso, é preciso tomar precauções para que o transporte e o armazenamento sejam feitos de forma a manter a temperatura ideal dos alimentos.

Toda a cadeia de produção de alimentos é responsável pela segurança alimentar. Então, agricultores, fabricantes, fornecedores e consumidores devem cuidar dos aspectos relacionados a ela. Para isso, é importante seguir diretrizes de modo a prevenir as doenças transmitidas por alimentos.

Quer entender melhor como isso deve ser feito? Neste post, apresentamos cuidados que devem ser tomados no manuseio de alimentos. Venha com a gente para saber mais!

Cuidados no transporte de alimentos não perecíveis

É essencial ter cautela ao transportar alimentos. A eficiência desse processo vai além da hora de descarga, já que envolve órgãos fiscalizadores e, ainda mais importante, a saúde do consumidor. Apresentamos, a seguir, algumas diretrizes que podem ajudar todos os envolvidos nessa tarefa. Confira!

Empilhamento

Qualquer alimento tem um limite máximo de empilhamento de embalagens. Essa informação vem descrita nas caixas e na documentação do frete, e deve ser seguida para não afetar a qualidade da mercadoria. Além disso, independentemente do produto, é essencial observar as temperaturas máximas suportadas por ele.

Temperatura

O controle da temperatura é essencial. Se forem usados caminhões frigoríficos, os responsáveis pela descarga devem manter a porta fechada durante o desembarque. Quando o produto é transportado em caixas térmicas, é importante que elas sejam qualificadas para garantir que podem manter a temperatura pelo tempo necessário.

Esses cuidados devem ser aplicados, ainda, a mercadorias com temperatura entre 15°C e 30°C. Equipamentos e locais de acondicionamento devem ser monitorados termicamente, bem como embalagens e sistemas térmicos devem ser desenvolvidos e qualificados para garantir a temperatura ideal.

Licenças

Existem licenças, permissões e documentações específicas quando se trata do transporte de alimentos. É essencial ficar de olho nas exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para garantir que todos os processos estão seguindo os direcionamentos adequados.

Rotulagem

Os rótulos e as etiquetas dos produtos devem estar de acordo com a regulamentação de transporte e a forma de comercialização de cada tipo de alimento. Essas normas são determinadas pela Anvisa e o mesmo vale para os fabricantes da embalagem.

Validade

Observar a validade do produto a ser transportado evita contratempos. É importante, nesse processo, evitar transportar itens que estejam próximos do fim do prazo de validade. Afinal, podem haver atrasos durante a viagem e o transporte de mercadoria vencida é ilegal.

É preciso, então, levar em conta a extensão territorial do Brasil, a incidência do transporte rodoviário, as condições das estradas e da malha aérea, o acesso a locais remotos e o fato de se tratar de um país tropical. Tudo isso afeta a logística de distribuição.

Em resumo, é essencial considerar as diferentes variáveis que podem afetar a qualidade do produto durante o transporte de alimentos não perecíveis. Só assim é possível garantir que sua integridade será preservada durante a viagem e que ele vai chegar ao consumidor em condições ideais de uso.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então venha descobrir como escolher o tipo certo de veículo para o transporte de cada tipo de mercadoria. Boa leitura!

Write a Reply or Comment