Os 4 principais modais de transporte de carga do Brasil

abril 30 2018

Na logística, os modais de transporte de carga são determinantes. Afinal, a distribuição de mercadorias deve ser feita de forma confiável, ágil, eficiente e segura. Para escolher a melhor opção, é essencial conhecer as alternativas disponíveis.

Dessa forma, é possível determinar qual é a alternativa mais adequada para a movimentação de mercadorias, de matéria-prima a produtos industrializados.

Por isso, neste post apresentamos os principais modais de transporte de carga utilizados no Brasil. Para conhecê-los, acompanhe a seguir. Boa leitura!

1. Rodoviário

Essa é a opção mais conhecida e usada no Brasil. É o modal que usa as rodovias do país para movimentar mercadorias em caminhões e carretas. A modalidade está em crescimento desde os anos 1950 e hoje responde por cerca de 76% da distribuição no território nacional.

Trata-se de uma alternativa com rota flexível e, por isso, é aconselhável para transportes de curtas distâncias de produtos acabados ou semiacabados, itens de alto valor agregado (como eletroeletrônicos) e mercadorias perecíveis (grãos, laticínios e carnes, por exemplo).

As vantagens do transporte rodoviário incluem:

  • acessibilidade: chega à maioria das localidades brasileiras;
  • facilidade: contratá-lo ou organizá-lo é simples;
  • flexibilidade: há várias possibilidades de trajeto possíveis;
  • pouca burocracia: a documentação necessária para o transporte é simples;
  • infraestrutura: o governo investe mais nesse modal do que em outros.

Apesar disso, há desvantagens. Confira as principais delas:

  • alto custo: os preços de combustíveis e pedágios têm grande impacto nesse modal;
  • baixa capacidade: o espaço físico disponível é restrito;
  • menor distância: percorre distâncias pequenas se comparadas ao tempo necessário para a entrega;
  • incidentes: roubos e acidentes podem levar ao extravio da carga.

2. Ferroviário

O transporte em ferrovias é bom para cargas de grande volume, que têm destino fixo e requerem deslocamento longo. Tem baixo custo se comparado com outras alternativas e, apesar de poder transportar produtos grandes e pesados, não tem flexibilidade de rota.

Entre as vantagens do transporte ferroviário estão:

  • baixo custo: além de usar combustíveis mais baratos, apresenta baixa incidência de impostos;
  • alta capacidade: permite carregar volumes grandes de carga;
  • incidentes: trata-se de um modal que oferece menor risco e mais segurança ao transporte de carga.

Já as desvantagens dessa alternativa incluem:

  • rotas: são fixas e inflexíveis;
  • dependência: pode ser que, para chegar ao destino final, seja necessário envolver outros modais de transporte;
  • infraestrutura: o governo não investe na modalidade.

3. Aéreo

Esse é o modal de transporte mais rápido disponível e o que permite percorrer longas distância nacionais e internacionais. Por isso, é a melhor alternativa quando tempo de entrega e segurança são requisitos importantes. Tem limitações, mas é ideal para eletrônicos, itens frágeis ou com prazo de validade curto.

Como vantagens, o transporte aéreo apresenta:

  • longas distâncias: independentemente das dificuldades geográficas da rota;
  • trânsito: exclusivo para a modalidade;
  • localização: aeroportos estão em ou próximos a centros urbanos;
  • tempo de entrega: é o menor possível;
  • embalagens: podem ser mais simples, porque o manuseio da carga é menor durante o trânsito.

Suas desvantagens englobam:

  • limitação: na quantidade de carga transportada;
  • alto custo: é mais caro do que os outros meios de transporte;
  • localização: é preciso que haja terminais de acesso;
  • dependência: em geral, depende de outros modais.

4. Aquaviário

Embora seja capaz de transportar diferentes espécies de produtos (nos estados sólido, líquido e gasoso), costuma ser a opção mais usada para itens de baixo valor agregado. Tem capacidade para levar grandes quantidades por longas distâncias, mas não é rápido nem ágil.

Suas vantagens são:

  • capacidade: permite transportar grandes quantidades;
  • longas distância: é capaz de percorrer longas distâncias;
  • incidentes: a chance de haver avarias nas mercadorias é pequena;
  • baixo custo: o frete no modal aquaviário é barato.

Entre as desvantagens estão:

  • tempo de entrega: é o mais longo de todos;
  • muita burocracia: a documentação necessária para o desembaraço dos produtos é complexa;
  • localização: requer terminais de embarque e desembarque especializados;
  • alto custo: o seguro de cargas é caro;
  • infraestrutura: há pouco investimento governamental.

Escolher entre os modais de transporte de carga disponíveis para definir o mais adequado para determinada mercadoria, garante que ela chegue em boas condições ao destino. Por isso, essa é uma tarefa de grande responsabilidade.

Gostou do texto? Então, leia também sobre as 6 ferramentas de gestão logística. Até a próxima!

Write a Reply or Comment